VASCULITES

1- O QUE SÃO AS VASCULITES?

São doenças ocasionadas por uma inflamação dos vasos sanguíneos. Podem ter origem desconhecida ou ser causadas por reação medicamentosa, infecção, câncer ou doenças autoimunes.

2) QUAIS SÃO OS SINTOMAS DOS PACIENTES COM VASCULITES SISTÊMICAS?

Extremamente variável. Podem ocorrer sintomas inespecíficos como febre, perda de peso e indisposição. Já os sintomas específicos estão  relacionados aos órgãos e tecidos predominantemente afetados, por exemplo, no envolvimento cutâneo, pode haver manchas, nódulos ou  úlceras na pele; No acometimento renal pode haver Hipertensão arterial sistêmica de instalação rapidamente progressiva, “inchaço” das pernas e face principalmente pela manhã; eliminação visível - ou detectada apenas por exame laboratorial - de proteínas, sangue na urina, elevação da creatinina; Acometimento do trato respiratório – sinusites, otites de repetição os quais não melhoram apesar do uso de antibióticos, nódulos, cavitações ou infiltrados pulmonares nos exames de imagem do tórax.

3) QUAL A CAUSA DAS VASCULITES?

Na maioria das vezes, não se encontra uma causa para as vasculites, sendo chamadas de vasculites primárias. Quando associadas a câncer, uso de fármacos ou drogas ilícitas, doenças infecciosas (Endocardite infecciosa, hanseníase ou Aids) ou doença autoimune (Lúpus eritematoso sistêmico) diz-se que há vasculite secundária a esses fatores.

4) QUAL O TRATAMENTO DAS VASCULITES?

O tratamento baseia-se em múltiplas estratégias as quais são:

  • Educação dos pacientes e familiares informando que na maioria dos casos não se sabe a causa das vasculites.

  • Suporte emocional pois alguns casos eventualmente podem cursar com danos orgânicos limitantes: rins – insuficiência renal definitiva necessitando de hemodiálise e/ou transplante renal; lesão ocular grave com perda do olho, destruição da cartilagem do nariz, surdez definitiva; traqueostomia e/ou oxigenioterapia para envolvimento pulmonar grave.  

  • Prescrição de fármacos imunossupressores para controlar atividade da doença (fase de indução) e manter a doença controlada (fase de manutenção). Controle de comorbidades como hipertensão arterial sistêmica, dislipidemias, prevenção e/ou tratamento de infecções - as quais muitas vezes ocorrem como gatilhos ou secundárias ao tratamento das vasculites.

Faz-se necessário ter acompanhamento de um médico Reumatologista para diagnosticar e guiar esse tratamento

Autor: Rodrigo Barbalho Chaves

Reumatologista

  CRM 5326/RN

Sociedade de Reumatologia do Rio Grande do Norte

Av. Rodrigues Alves , 800, Tirol. Ed Tyrol Bussiness, sala 611 • CEP: 59020-255 - Natal, RN

E-mail: reumatorn@gmail.com

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco

Desenvolvido por Projetta 2019